Entregas grátis em encomendas acima de 30€.
Contacte-nos se precisar de ajuda.

Ponto de cruz - acessórios

    Vai necessitar de alguns acessórios básicos para começar. A DMC fabrica-os de primeira qualidade para qualquer tipo de bordado. Recomendamos os seguintes acessórios:

    • Fio Mouliné Spécial DMC
    • Uma peça de quadrilé Aida, linho ou etamine DMC.
    • Uma tesoura para bordar DMC
    • Agulhas para bordar DMC
    • Enfia-agulhas DMC
    • Um aro de bordado, tear ou bastidor DMC


    Escolha o fio


    Para a maioria dos trabalhos em ponto de cruz vai usar o fio Mouliné Spécial DMC. Este fio para bordado é o de melhor qualidade e o mais usado no mundo. É feito de 100% algodão egípcio de fibra longa e mercerizado para produzir um brilho lindo. Existem mais de 450 cores de fio para bordado DMC.


    Cada fio é composto por seis cabos individuais, o que permite ajustar a espessura do seu bordado, usando um número diferente de cabos. Os esquemas e as explicações costumam fazer referênca a um cabo.


    Outros fios DMC para bordado são: o Variations DMC, o Light Effects DMC e o Satin DMC. Todos estes fios são também formados por seis cabos individuais, que se podem separar facilmente. Todos os fios DMC são feitos com as fibras da melhor qualidade do mundo e mercerizados ou retorcidos para ter um bonito brilho e para que os tons brilhantes sejam uniformes meada a meada. Assim o seu trabalho resiste com o tempo. Os fios DMC apresentam uma plena fixação da cor e são resistentes à descoloração.


    Escolha o tecido


    Para as principiantes, o melhor é começar com o quadrilé Aida 100% algodão. A sua exacta trama em forma de quadrado com buracos visíveis para bordar torna este tecido fácil de usar e permite as agulhas deslizarem com facilidade através dos buracos. Quando um trabalho requer o tecido Aida, em geral apresenta-se em pontos. Os pontos indicam quantos quadrados estão disponíveis por centímetro de tecido. Cada quadrado ou buraco representa um ponto de cruz. A Aida DMC e Charles Craft encontram-se numa variedade de pontos que vão de 11, 14, 16 e 18, com buracos maiores ou menores. Quanto menor for o ponto do tecido, maiores serão os buracos do tecido. Por exemplo, um quadrilé Aida de 11 pontos terá 11 quadrados por centímetro. Assim, para os trabalhos de uma principiante recomenda-se o uso de um quadrilé de 11 ou 14 pontos, já que os buracos são maiores para facilitar o bordado. Os tecidos DMC e Charles Craft têm um bonito acabamento e estão disponíveis em muitas cores e tipos.


    Mais informações sobre os tecidos e como escolher o correcto...


    As pessoas normalmente aprendem a fazer ponto de cruz, contando os buracos de quadrilé e depois quando têm mais experiência, aprendem a bordar em linho ou etamine. Todos estes tecidos têm o mesmo número de fios de trama e urdidura por centímetro. Os fios da urdidura percorrem todo o tecido, enquanto que os fios da trama vão de lado a lado, de ourela a ourela. Os pontos do fio para ponto de cruz estão determinados por este número: por exemplo o linho de 22 pontos tem 22 fios de urdiduras verticais e 22 fios de trama horizontal por centímetro de tecido. Quanto maior for o número de pontos, mais fina e junta será a trama. O quadrilé trabalha-se com um X sobre um quadrado, o linho e a etamine trabalham-se geralmente sobre dois fios. O termo comum para esta técnica chama-se simplesmente "mais de dois fios". Bordar "mais de dois fios" em linho de 28 pontos dá origem a um desenho do mesmo tamanho que um bordado em quadrilé de 14 pontos.


    Algumas coisas a recordar quando se escolhe o tecido:

    • Os pontos fracionários (os quartos de ponto e pontos de três quartos) podem ser difíceis de fazer no quadrilé, já que a agulha atravessa o centro do quadrado.  As bordadeiras por vezes preferem usar outro tecido como o linho, onde a agulha simplesmente passa entre os dois fios.
    • Muitos tecidos para bordar em ponto de cruz são suaves ao tato e não tão rijos como o quadrilé. Esta pode ser uma vantagem ou uma desvantagem, dependendo das suas preferências. A diferença de rigidez não costuma dever-se ao fato do tecido ter sido trabalhado com um bastidor ou com um aro. Os tecidos mais rijos, como o quadrilé, podem ser trabalhados sem aro e não se deformam enquanto se borda.
    • O aspeto do tecido para o fundo do desenho também é importante, quando se escolhe o tecido. Devem-se considerar tanto a textura como a cor.
    • Há muitos outros tecidos e artigos, que pode usar para ponto de cruz como o Soluble Canvas, o Magic Guide...


    Escolha a agulha correta


    Para trabalhos de ponto de cruz use agulhas para bordado DMC. As agulhas para bordado têm um buraco maior para inserir o fio com mais facilidade e uma ponta redonda, que desliza suavemente por entre os quadrados do tecido. O número das agulhas para bordar corresponde ao tamanho do buraco e à grossura da agulha. Quanto maior for o número da agulha, menor será o buraco e mais fina a agulha.


    RECOMENDAÇÃO: guarde as suas agulhas numa caixa magnética de agulhas DMC para ficarem protegidas e guardadas com segurança.


    O esquema


    O esquema apresenta toda a informação necessária para bordar o motivo. O esquema enumera os tipos de fios a usar, quantos cabos e o tipo de tecido e cor. Os quadrados do esquema correspondem aos quadrados do tecido, cada quadrado do esquema trabalhado com um ponto terá um símbolo.


    Os esquemas de ponto de cruz são abundantes, variados e fáceis de encontrar. Pode começar já com esta página em "Esquemas Grátis DMC", na qual pode encontrar vários esquemas diferentes divididos segundo os fios usados e o nível de experiência necessário. Na sua loja habitual também pode encontrar folhetos, livros e inúmeras revistas de bordado, que oferecem uma série de desenhos recentemente publicados.


    Aros, teares e bastidores


    Manter o tecido esticado enquanto borda é a melhor maneira de obter pontos uniformes e a tensão dos pontos constante. Escolher a ferramenta certa depende do tamanho do trabalho e da preferência pessoal. O mais versátil e económico é um aro para bordar, enquanto que as pessoas com mais experiência podem preferir os bastidores ou os teares.


    Os aros para bordar redondos são a forma mais comum disponível e apresentam-se em vários tamanhos que vão dos 7 aos 30 cm. São de plástico ou madeira, de vários estilos e têm vários sistemas de fecho. Escolha um aro que seja um pouco maior que a área do desenho. O tecido deve sair uns 5 cm do aro para o poder colocar e ter a certeza que se borda bem. Para aprender a usar um aro para bordar, clique aqui. Para mais informação sobre os aros, teares e bastidores, clique aqui.


    Carta de cores DMC


    A carta de cores DMC é uma maravilhosa ferramenta de referência para quando estiver à procura de uma cor especial. Permite-lhe ver toda a gama de cores e comprar as subtis tonalidades de cada cor disponível na gama de fio da DMC. Com a carta de cores DMC pode escolher as suas próprias paletas de cores para personalizar qualquer desenho de ponto de cruz ou encontrar uma cor substituta.  


    Iluminação e ampliação


    Os seus olhos e o seu trabalho em ponto de cruz merecem  uma excelente iluminação enquanto borda. Escolha uma luz clara dirigida à superficie do desenho. Os candeeiros de pé e os candeeiros de braço basculante são bons e podem ser ajustados. Vários fabricantes produzem candeeiros com lupas fixáveis adequados aos níveis mais avançados.


    Acessório suplementar para nível avançado:

    Íman para agulhas: é uma boa ideia deixar a agulha de trabalho, quando não estiver a bordar para evitar buracos inestéticos, que podem estragar o tecido. Pode deixá-la num íman para agulhas para não a perder.